BrLab 2016

Comissão de Seleção

  • Ana Alice de Morais

    A produtora Ana Alice de Morais estudou Cinema na Universidade Federal Fluminense e cursou “Master 2” na Ecole Supérieure D’Audiovisuel de Toulouse, na França. Desde 2003 atua na produção audiovisual, tendo trabalhado em diversos curtas-metragens, longas, mostras de cinema e projetos educacionais. Em 2008 fundou a 3 Moinhos, produtora voltada para o mercado autoral, cujos trabalhos já renderam mais de 70 prêmios em festivais no Brasil e no exterior. Em 2012 Ana Alice participou do Rotterdam Lab e em 2014 do Binger Film Lab. Seu longa-metragem mais recente, Antes o Tempo Não Acabava, participou do BrLab em 2012, foi realizado com apoio do fundo Ibermedia e do World Cinema Fund e teve sua estreia na sessão Panorama do Festival de Berlim.

  • Davi Pretto

    Davi Pretto (Porto Alegre, 1988) foi curador e produtor de mostras exibidas em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. É sócio da Tokyo Filmes, produtora que teve seus filmes exibidos em festivais como Cannes, Berlim, Locarno e Toronto. Desde 2014, é diretor do Plataforma:Lab, laboratório para longas-metragens brasileiros, sediado em Porto Alegre. Dirigiu dois longas-metragens, ambos estreados na mostra Forum do Festival de Berlim: CASTANHA (2014) foi exibido em festivais como Rio de Janeiro (Melhor Filme Novos Rumos), Bafici (Prêmio Feisal Menção Especial), Hong Kong, Edinburgh e Havana. RIFLE (2016) foi premiado nos festivais de Brasília (Prêmio da Crítica), Jeonju (Grand Prize) e Salvador (Melhor Filme).

  • Fernanda De Capua

    Formada em cinema e filosofia, Fernanda De Capua produziu o curta Submarino, os longas Sonhos de Peixe, Laura e Casa Grande (prêmio do público no Festival do Rio). Realizou também os documentários Violência S.A., Se Eu Demorar Uns Meses e Quem Matou Eloá. Para TV, Fernanda produziu o programa Capital Natural (Band News) e a série documental Arte Ativa. Atua desde 2008 como consultora de pitch, roteiro e formatação de projetos. Já ministrou oficinas no Brasil, Bolivia, Colômbia, Costa Rica, e República da Georgia. Se dedica também à função de roteirista e script doctor, em roteiros como Gabriel e a Montanha, de Fellipe Barbosa, Ooutro Lado de Victor Cesar Bota, O Caminho do Urso, com Rafael Aidar e Noventa com Thiago Dottori.

  • Flavia Candida

    Flavia Candida é curadora, cineasta e produtora oriunda do curso de Cinema da UFF. Começou sua carreira como programadora em meados dos anos 1990 no Cine Arte UFF e coordenou por mais de 15 anos o Festival Brasileiro de Cinema Universitário. Colabora em festivais e mostras como Curta Cinema, Festival do Rio, Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e Goiânia Mostra Curtas. Como analista e consultora de projetos colaborou na seleção de laboratórios como BR Lab, Plataforma Lab, ICUMAM Lab e consultoria no Laboratório de Projetos do Curta Cinema 2015. Também fez parte da comissão de seleção do Edital Elipse de curtas-metragens universitários (Secretaria de Estado de Cultura do Rio) e do FUNCULTURA 2016 em Pernambuco nas linhas de pesquisa, formação e difusão. Dirigiu o curta O Metro Quadrado, vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Brasília em 2002.

  • Francine Barbosa

    Francine Barbosa é roteirista e professora de roteiro. Trabalhou como roteirista no desenvolvimento do longa metragem “A Cidade Aqui Dentro”, das séries de televisão “Corumbá”, “36 Horas” e “Existe Amor em SP/Estranho Casal”, e dos curtas metragens “A Navalha do Avô” e “Cerimônia”. Ministrou oficinas na Biblioteca São Paulo, Academia Internacional de Cinema, Oficinas Tela Brasil e Programa VAI, entre outros. Participou das comissões de seleção do Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, ProAC-SP e da Secretaria de Cultura do Estado de Goiás. É parecerista de diversas linhas do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA desde 2015.

  • Ivan Melo

    Ivan Melo tem mais de 20 anos de experiência no mercado nacional e internacional de cinema. Trabalhou como produtor executivo da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e como Diretor Artístico do Festival de Paulínia.Foi ainda Diretor de Projetos do Polo Cinemátográfico de Paulínia onde esteve envolvido na realização de 40 longas-metragens Brasileiros. Trabalhou nas distribuidoras independentes, Cult Filmes – uma parceria entre as distribuidoras Imovision, Pandora e Filmes da Mostra – especializada no mercado de vídeo doméstico. E como executivo da empresa Mais Filmes, especializada na distribuição para o mercado de Cinema e Televisão. Participou da comissão de seleção de alguns dos mais importantes editais do País, como o PETROBRAS CULTURAL, BNDES CULTURA, SPCINE, PROAC entre outros…Atualmente desenvolve projetos de produção de longa-metragem e séries para Televisão em parceria com Anna Muylaert (Que Horas Ela Volta?, Mãe Só Há Uma) através da empresa África Filmes de quem é sócio. Esta associado também à empresa capixaba UACARI FILMES de Juliano R. Salgado (O Sal da Terra) e de Ivi Roberg com os quais desenvolve dois longas-metragens, a ficção Vitória, e o documentário Amazônia.

  • Marcio Miranda Perez

    Marcio Miranda Perez é editor e curtametragista; estudou Cinema e Vídeo na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Seus trabalhos como realizador de curtas-metragens foram exibidos e premiados em festivais no Brasil, Argentina, França, Espanha, Chile, EUA, Portugal, Cuba e Polônia, entre outros países; seu roteiro de curta-metragem “Lightrapping” foi contemplado com o Prêmio Estímulo da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo em 2014. Entre seus trabalhos em montagem, também premiados, estão diversos curtas e longas-metragens entre ficções, documentários e animações. Atua dentro do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo desde 2004 como coordenador dos programas latino-americanos, na coordenação de programação do Festival Mix Brasil desde 2014 e também no comitê de seleção da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental desde 2015. Supervisionou por vários anos os trabalhos de edição das Oficinas Kinoforum de Realização Audiovisual, um curso de introdução à linguagem audiovisual em comunidades de São Paulo. Como jurado de comitês de seleção e premiação, participou também de inúmeros festivais de cinema no Brasil, Chile, Argentina e Colômbia.

  • Mauricio Kinoshita

    Pós-graduado em Administração de Organizações Culturais e Criativas pela Universidade de Buenos Aires, formado em Cinema pela FAAP e especialista em Semiótica Psicanalítica pela PUC-SP. Trabalhou na produção de filmes dirigidos por Hector Babenco, Tizuka Yamasaki e Guilherme de Almeida Prado, e desde 2002 produz a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. Também teve breves passagens pelo teatro e editoras, assim como pelo curta-metragem documental. Seu curta Hibakusha: herdeiros atômicos no Brasil foi um dos contemplados do Prêmio Estímulo de 2005 e premiado no É Tudo Verdade em 2007.

  • Rafael Sampaio

    Rafael Sampaio é diretor geral do BrLab, produtor e sócio fundador da produtora Klaxon Cultura Audiovisual. Formou-se em Cinema pela FAAP (São Paulo, 2002), cursou Máster em Estudos Teatrais e Audiovisuais (Universidade da Coruña, Espanha) e Especialização em Vídeo e Novas Tecnologias Online-Offline (MECAD-Barcelona). Atua também, desde 2001, como produtor e programador de mostras e festivais de cinema. Foi programador de cinema em diversos espaços culturais tais como Museu da Imagem e do Som de São Paulo – MIS, Cinemateca Brasileira e Cine Olido, além de ter produzido mostras e festivais como Jornada Brasileira de Cinema Silencioso, Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, entre outros. Atua também como coordenador de cursos e plataformas para formação profissional como os Laboratórios de Desenvolvimento de Projetos do Prodav 4/2013 e 2014, para diferentes tipologias (séries de ficção, séries de animação, séries documentais e longas de ficção e animação). Pela Klaxon é ainda produtor dos filmes O PACOTE (curta-metragem, Rafael Aidar, 2012), SOBRE RODAS (longa, Mauro D’addio, 2017), UM CASAMENTO (longa-metragem, Mônica Simões, 2017), entre outros projetos audiovisuais da produtora em finalização e desenvolvimento.

  • Sandro Fiorin

    Nascido no Brasil, Sandro Fiorin fundou a produtora FiGa Films em Los Angeles, em 2006, com o parceiro cubano-americano Alex Garcia, para descobrir e distribuir conteúdo latino-americano na América do Norte, assim como representá-lo pelo mundo. Criado no Rio de Janeiro, Fiorin estudou na Escola de Cinema da FAAP e na New School em Nova York, onde viveu e trabalhou por 14 anos, antes de mudar-se para a Califórnia em 2001. Cargos no Film Forum, Universal e First Look Films fazem parte de seus 20 anos de carreira na área. É programador do Festival de Cinema Latino Americano no High Museum of Art em Atlanta, e diretor artístico do IndieBrazil Film Festival em Los Angeles. Fiorin foi convidado para participar do júri e conduzir fóruns de discussão sobre a situação da distribuição alternativa em Sundance, San Sebastián, Cannes, Rotterdam, Toulouse e diversos outros festivais. Desde 2010 esteve envolvido na produção de premiados projetos, como Verano de Goliat, Los Viejos e Avanti Popolo.