Ontem havia coisas estranhas no céu

Meu pai ficou desempregado depois de 15 anos de estabilidade. Minha família tentou inúmeros caminhos, mas se viu obrigada a voltar para a velha casa no Bresser. Esse retorno foi em 2010. Fiquei vivendo com eles para ajudá-los em sua nova condição: sem dinheiro, sem possibilidades, a identidade fraturada. A casa fica em uma pequena vila remanescente de outros tempos. Ali, primeiro havia os rios e os povos primitivos. Depois vieram as fábricas e os operários. Hoje proliferam os condomínios e os estacionamentos. A vila se mantém idêntica. Minha mãe procura saídas, mas não sabe o que fazer. Meu pai não quer mais trabalhar. Propus a eles fazermos juntos um filme sobre a situação. Misturando a ficção, materiais de arquivo, filmagens domésticas e documentais, tentamos atravessar os tempos e criar um novo: o de nosso encontro conosco mesmos. Mas em meio a isso, umas coisas estranhas e brilhantes apareceram no céu. Eles perseguem minha mãe; ela se entrega.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

País: Brasil

Valor Estimado: US$ 260,000.00

Valor Captado: US$ 20,000.00

Direção

  • Bruno Risas

    Sócio da Sancho Filmes, Bruno Risas dirigiu os curtas Os cegos e Cajamar. É fotógrafo de premiados filmes, como Pouco mais de um mês (Menção Honrosa na Quinzaine des Réalisateurs em 2014) e Aliança. Atualmente desenvolve seu primeiro longa, Ontem havia coisas estranhas no céu, participante do Talent Campus Buenos Aires e contemplado em um Prêmio de Desenvolvimento do município de São Paulo.

Produção

  • Michael Warhmann

    Formado em Cinema pela FAAP, Michael Warhmann dirigiu os curta Avós e Oma, que foram selecionados para mais de 60 festivais, como a 60ª Berlinale, e premiados em mais de 40 deles. Avanti Popolo, seu primeiro longa, foi premiado no Festival Internazionale del Film di Roma e no Festival de Brasília, entre outros. Atualmente está desenvolvendo três longas.